Na rotina agitada de uma colmeia, a saúde é uma das prioridades do grupo. Por isso, as abelhas gastam boa parte da sua energia coletando resinas na vegetação ao redor para produzir um poderoso remédio, a própolis. As operárias vedam todas as frestas com esse preparado para aproveitar o melhor de suas propriedades físicas e biológicas. A própolis isola o ambiente interno a fim de manter a temperatura ideal, impedir a entrada de vento e chuva e blindar a área contra bactérias, vírus e fungos capazes de colocar em risco a vida dos insetos.

 

O ser humano, notou há séculos que poderia tirar proveito do composto em nome do seu próprio bem-estar. Desde o Egito antigo ele é utilizado como antisséptico, no tratamento de feridas e inclusive na conservação dos corpos. O famoso ritual de mumificação, aliás, guarda semelhanças com o que é praticado ainda hoje pelos enxames. “Se não é possível remover uma abelha morta de dentro da colmeia, as outras a embalsamam para preservar a saúde de todas”

 

Mesmo com um histórico respeitável de uso, que lhe rendeu o posto de medicamento natural, a própolis só entrou pra valer na mira da ciência nos últimos 20 e poucos anos.

 

Os compostos fenólicos presentes na resina, em especial os flavonoides, merecem destaque no papel de prevenção e combate a inflamações e infecções. Isso porque anulam radicais livres, moléculas que, em excesso, fragilizam o organismo. Todos os tipos de própolis possuem essa ação antioxidante, mas a carga das substâncias pode variar bastante de um tipo de extrato para outro.

 

De fato, uma das proezas mais estudadas das própolis marrom, verde e vermelha é a capacidade de impulsionar o sistema imune. Não existe um consenso sobre qual componente é responsável por isso, mas tudo leva a crer que ocorre uma interação entre um mix de substâncias da resina e dois tipos de células de defesa, os macrófagos e os neutrófilos, que fazem uma faxina pelo organismo. “As pesquisas mostram que há um aumento na produção de anticorpos e da atividade de células envolvidas na resposta imunológica em animais e seres humanos”

 

Tosse, dor de garganta, gastrite, intoxicação alimentar e aftas são alguns exemplos de problemas que o consumo de própolis pode ajudar a resolver. Os flavonoides presentes nele também ajudam a impedir a proliferação de bactérias e vírus.

Alguns estudos com o própolis já comprovam os efeitos anti-inflamatórios que estimulam a imunidade celular e incentivam a atividade de destruição de corpos estranhos. Os flavonoides também ajudam a eliminar do corpo os radicais livres em excesso e aumentam a produção de células de defesa do corpo.

 

Como usar o própolis

O própolis pode ser encontrado em forma Spray ou extrato que é a versão mais concentrada do produto.

Assim como o mel, pode ter variações na composição química, propriedades biológicas, cor e odor, muito por causa das diferentes regiões em que é produzido .

“Na forma de extrato de própolis existem dois tipos, o aquoso(Spray) e o alcoólico(Extrato). O aquoso é menos concentrado que o alcoólico. Se formos pensar em princípios ativos , o alcoólico ou o verde, são melhores. Mas o aquoso é melhor para crianças e pessoas com problemas no fígado, por exemplo”

Para cicatrização de feridas ou acne e espinhas, aplique uma ou duas gotas do extrato sob o local. Para dores de garganta, adicione quatro ou cinco gotas de extrato de própolis em uma xícara de água e use para fazer um gargarejo.

 

Contra-indicações

O própolis, especialmente na forma bruta, é uma substância com muito açúcar, portanto torna-se mais perigoso para diabéticos ou pessoas com propensão para desenvolver a doença. Há também o risco de alergia, manifestada com inchaço, vermelhidão, coceira ou urticária na pele.

Antes de usar, pingue duas gotas do extrato na pele e espere por 30 minutos para ver se surge algum incômodo. A forma bruta também pode manchar os dentes – daí a preferência pelo extrato de própolis.

 

Receita matinal

Muita gente já aderiu à água com limão de manhã. Experimente adicionar o própolis à receita para turbinar ainda mais os benefícios. Além dele, a glutamina também pode entrar no preparo.

Esprema meio limão em um copo, com água morna, pingue algumas gotas de própolis e beba em jejum. Espere, de preferência 30 minutos, para tomar o café da manhã..

“É um shot de saúde. Ação antioxidante, detox e imunomoduladora, também por causa da vitamina C do limão. Essa receita diminui a ação dos radicais livres e ajuda no equilíbrio ácido-base também, principalmente no intestino,em que neutraliza o meio ácido e deixa o PH mais neutro”

Propólis - Extrato 30%

8,85 €Preço

    ©2020 por Casal da Freira

    • White Facebook Icon
    • White Instagram Icon
    • Branca ícone do YouTube